Objetivo

As Faculdades adotam avaliação institucional permanente, como forma de busca incessante por melhoria da qualidade do ensino, da pesquisa e da extensão. Isso implica mudanças profundas, introduzidas de maneira democrática, dialogada e resultante de cuidadoso processo de avaliação institucional permanente.

A qualidade será a consequência natural desse processo, seja no ensino oferecido, seja nos projetos de extensão, e, mesmo, na dimensão da pesquisa. Tal objetivo implica a interação entre dirigentes e corpos docente e discente, irmanados no ideal comum de apresentar à sociedade um ensino superior partícipe, apto a responder aos desafios do mundo contemporâneo.

As Faculdades optaram pela avaliação radial como pilar metodológico, onde avaliará e será avaliado todo aquele que se envolver diretamente com qualquer das atividades de ensino, pesquisa, extensão, ou administrativa.

 

PRESSUPOSTOS BÁSICOS

• Criar uma “cultura de avaliação”.
• A avaliação deverá ser coletiva, participativa e livre de ameaças.
• Os resultados serão utilizados de forma imediata.
• A avaliação envolverá aspectos quantitativos e qualitativos.
• Avaliarão e serão avaliados aqueles que diretamente lidem com atividades de ensino, pesquisa, extensão, ou administrativa.
• Os resultados do processo de avaliação refletirão dimensões operacionais e estratégicas.

 

Objetivos Específicos para Avaliação e Acompanhamento do Desempenho Institucional com a adoção do processo de avaliação institucional, as Faculdades pretendem alcançar os seguintes objetivos:

• avaliar o projeto político-pedagógico da Instituição visando à melhoria da qualidade dos seus cursos, das atividades desenvolvidas nos projetos de ensino, pesquisa e extensão;
• promover a sensibilização, coleta de dados, auto-avaliação e ações que conduzam á melhoria da qualidade das atividades de ensino, pesquisa e extensão;
• sensibilizar constantemente os diferentes segmentos: professores, funcionários e alunos, para a importância da avaliação como instrumento de melhoria da qualidade e como recurso a ser utilizado para prestar contas da real situação das Faculdades aos próprios alunos, suas famílias e à sociedade em que o curso está inserido;
• fazer diagnóstico permanente da infra-estrutura e da gestão;
• realizar um diagnóstico constante de cada curso, visando à identificação de seus problemas, das mudanças necessárias e das inovações exigidas pelo mercado de trabalho;
• fazer um diagnóstico permanente das atividades curriculares e extra-curriculares a fim de verificar de que maneira elas atendem as necessidades do mercado de trabalho; e
• propor mudanças nos projetos pedagógicos, ouvindo os alunos, professores e funcionários técnico-administrativos e estimulando-os a participarem ativamente do processo.